Como Dar Feedbacks (E o que seria Feedforward?)

Romario Souza

Romario Souza

Feedbacks

Quantas vezes você se sentiu mal por receber um feedback que não fala nada sobre seus comportamentos, mas sim sobre um “achismo” que um superior tem sobre você? Quantas vezes você ouviu algum colega de trabalho reclamando que irá procurar um novo emprego porque não aguenta mais os feedbacks super negativos e mal estruturados que recebe do líder? Quantas vezes você ficou sem saber o que falar para um colega de trabalho por ele ou ela estar sem compreender o motivo de um feedback negativo sem ter feito nada contra os valores da organização?

Essas perguntas servem como base para compreendermos que podemos encontrar pessoas que se sentem mal ou desmotivadas por receber feedbacks mal estruturados e sem conexão alguma com ações realizadas por elas mesmas.

Entretanto, podemos verificar que existe um desconforto para aqueles que precisam dar o feedback. Eles ficam sem saber o que dizer. Isso acontece, na maioria das vezes, por falta de treinamento ou de conhecimento em relação a como estruturar um feedback conectado com os valores e comportamentos que a organização preza.

Podemos compreender que existe um desafio para ambas as partes: para quem oferece o feedback e para quem recebe o feedback. 

Em seu livro “Gestão de Carreira: Como ser o protagonista de sua carreira”, a autora Miriam Gold (link do livro na referência) cita: “o termo feedback é utilizado em teorias da administração de empresas para as situações nas quais se dá um parecer sobre uma pessoa ou grupo de pessoas a respeito da realização de um trabalho com o intuito de avaliar seu desempenho”. E ela fala ainda sobre dez dicas para fornecer feedback, vamos compreender cada uma delas:

  1. Nunca violar o princípio da confiança – um aspecto importante é deixar claro para a pessoa que você vai oferecer um feedback que você está ali para contribuir no desenvolvimento dela, e não para humilhá-la ou falar algo ruim de quem ela é.
  2.  Nunca violar o princípio do respeito – um ponto importante nos dias de hoje. Como podemos aprender a respeitar mais as pessoas em um mundo “MUVUCA”? Em um mundo que valoriza a diversidade dentro das organizações e na vida? 
  3. Não se contradizer ou faltar ao respeito com o princípio da ética profissional – será que as empresas tem o código de ética claro? Ou a empresa supõem que todos sabem o que significa ética por ser um senso comum, mas que as vezes não é tão comum?
  4. Compreender o contexto para identificar qual feedback será utilizado – o positivo, o construtivo ou o negativo. Vamos falar sobre eles três? Então, o feedback negativo tem o intuito de demonstrar ao colaborador que alguma(s) de suas ações não está(m) alinhada(s) com o que a empresa preza ou valoriza. Já o feedback positivo tem o intuito de elogiar o colaborador por um comportamento conectado com o que a empresa preza e valoriza. O feedback construtivo teria o intuito de demonstrar um comportamento que não é adequado para o contexto, mas que o gestor irá contribuir no desenvolvimento do colaborador com diferentes ações e nas construções de um PDI (Plano de desenvolvimento individual).
  5. Não confundir feedback com um momento para desabafar emoções e sentimentos.
  6. Ter clareza do objetivo do feedback.
  7. Tentar identificar o melhor momento para dar o feedback, mas que não demore demais para não perder o time.
  8. Pensar na melhor forma para dar o feedback – uma boa forma de dar feedback é com a metodologia do Managament 3.0, o Thiago Brant escreveu um artigo falando sobre a aplicação desse modelo e também tem conteúdo no site do Management 3.0 – link da referência
  9. Compreender o contexto ajuda a tomar a decisão se o feedback deve ser dado envolvendo só você e o colaborador ou se é necessário convidar mais alguém.
  10. Ter certeza de que você foi claro na hora de passar o feedback e deixou todos os pontos 100% compreendidos.

Do livro “O livro da Decisão” de Mikael Krogerus e Roman Tschäppeler (link do livro na referência), eu achei uma citação que faz sentindo para mim antes de dar qualquer feedback, leia ela a seguir:

“Tenha cuidado com seus pensamentos, porque eles viram palavras. Tenha cuidado com suas palavras, porque elas viram ações. Tenha cuidado com suas ações, porque elas se transformam em hábitos. Tenha cuidado com seus hábitos, porque eles se tornam seu caráter. Tenha cuidado com seu caráter, porque ele é seu destino.”

Do Talmude

Acredito que esse pequeno texto tem um mega impacto quando lemos antes de dar um feedback para alguém. “Tenha cuidado”, eu leio como ter um zelo pelo desenvolvimento da pessoa que irá receber o feedback. Mesmo em processos seletivos, eu preciso ter cuidado e zelo pelos feedbacks que eu ofereço para as pessoas que se candidatam para uma vaga, mas que infelizmente essa pessoa não tem os comportamentos adequados e habilidades técnicas conectadas com a necessidade da vaga.

E agora podemos encontrar ainda uma outra forma de contribuir no desenvolvimento de pessoas: o feedforward. A definição dessa palavra pode ser “avançar” ou “olhar para a frente”. Então o feedforward tem foco no futuro.

A construção do conceito do feedforward foi desenvolvido por Marshall Goldsmith. Ele é responsável por direcionar mais de cinquenta mil profissionais de alto nível de diferentes organizações no mundo. Ele é autor de vários livros e também é coach de diferentes profissionais renomados.

Se desenvolver está 100% conectado com feedback e feedforward. Um se preocupa com comportamentos do passado que não são construtivos e o outro com comportamentos do futuro que você quer ter para conquistar um objetivo.

Pense e reflita sobre quais dos dois fazem mais sentido para você, para sua equipe, para o contexto de sua empresa. Se onde você trabalha hoje só existe o feedback, mas não tem o feedforward, não tem problema. É só começar uma nova cultura dentro da organização. E espero que seja uma ótima jornada tanto para você quanto para todos que vão ter a oportunidade de se autoconhecer para se desenvolver. 

Algumas referências para consulta:

  1. Um artigo interessante do Thiago Brant sobre feedback: https://agilers.com.br/feedback-wrap-e-comunicacao-nao-violenta/
  2. Ferramenta Feedback Wrap (Management 3.0) – https://management30.com/practice/feedback-wraps/ 
  3. Livro “O livro da decisão” de Mikael Krogerus e Roman Tschäppeler – https://amzn.to/3J6rTTj
  4. Livro “Gestão de Carreira: Como ser o protagonista de sua carreira” de Miriam Gold – https://amzn.to/3Nxxu89

Sugira algo aqui

Cookies

Utilizamos cookies para personalizar o seu conteúdo e melhorar sua experiência com a Agilers. Utilizamos cookies também para analisar a navegação dos usuários e poder ajustar a publicidade de acordo com suas preferências.

Saiba mais sobre os cookies em nossa Política de Cookies